sábado, 7 de fevereiro de 2009

o silêncio paira num fundo negro (ao contrário de minha página em branco, o negro está louco para ser preenchido). uma caixa preta. um ponto de partida. uma área finita de sombras em repouso. aja fumaça. aja quentume. “Haja tanto Hoje para tanto hontem”.

É meio dia

De agonia, grito o grito: “eu sou uma tampa!”

Tudo tão efêmero. Tudo fake.

8 comentários:

Vieira Calado disse...

Obrigado pela visita ao meu blog.

Bjs

Wagner Kaiowas disse...

É tudo tão, tão... Sabe?
Beijão e tenha uma ótima semana.
Ah, coloquei um link do seu blog no meu blog.

Ludi Botelho! disse...

menina....
como estas?

bjoooo
saudades

Carol disse...

tô tão out desse mundinho virtual...

Ramon Mineiro disse...

EI SÓ UM DETALHE...
O FUNDO DO SEU BLOG É AMARELO...HEHEHE... (BRINCADEIRA)

GRANDE BEIJO!

Luiz Calcagno disse...

Essa frase nunca soou tão niilista antes. Somos tampas. Obrigado. Abraços!

Luiz Calcagno disse...

PS: concordo plenamente: "ontem" a partir de agora é "hontem". Lucy in The sky With diamonds...

Elaine Siderlí disse...

Belo, objetivo.

Elaine Siderlí.